O motivo inativo desta campanha não é fornecido pela equipe %s

Imagem
Imagem
Proteger, recuperar e promover o uso sustentável dos ecossistemas terrestres, gerir de forma sustentável as florestas, combater a desertificação, deter e reverter a degradação da terra e deter a perda de biodiversidade
Imagem
Educação ambiental
Imagem
Mata Atlântica

Criado por, Marcos Aurelio

Parque de Campismo Geodésico de Meliponas

0% Completo (sucesso)
BRL 0,00 criado de BRL 30.000,00 Meta
0%
Flexível
0 Financiadores
Data final:

Nome da organização: Eco Guaricana Turismo de Natureza

Parceiro Estratégico: Projeto não atribuído

Informações da organização

Nome da organização
Eco Guaricana Turismo de Natureza
Categoria da organização
Organização da sociedade civil
URL
https://www.ecoguaricana.com.br/
Localização da Organização
Estrada Velha da Guaricana, 500 - Area Rural, São José dos Pinhais - PR, Brasil
Descrição

O Turismo de Natureza preserva a fauna e flora. As atividades da Eco Guaricana Turismo de Natureza são planejadas e organizadas por pessoas que se sentem parte da Natureza e ampliam o conceito de pertencimento aos ecoturistas.

História do Projeto

Conte-nos mais sobre o desafio do projeto: qual é o problema que está a tentar resolver? Porque é que o problema é importante?

A Eco Guaricana, CNPJ 115163650001-90, completa em novembro de 2023 dez anos na organização de passeios de Eco Turismo em reservas ambientais particulares parceiras, as chamadas RPPNs, ou localidades com interesse em preservação em geral. O campo base é na chácara da Eco em São José dos Pinhais, endereço Estrada Velha da Guaricana, nº 500, com 06 hectares, no Paraná, com saídas também a Piraquara, Curitiba e Bocaiúva do Sul.

Como impacto positivo na Natureza, as RPPNs parceiras da Eco Guaricana, Bellatrix (em Bocaiúva do Sul com 100 hectares); Airumã (em Curitiba com 3,6 hectares); Santuário da Natureza Walker (em Piraquara com 30 hectares); e Nhandara Guaricana (em São José dos Pinhais com 300 hectares), somam mais de 400 hectares preservados e voltados ao Eco Turismo, em uma conexão que começa em Bocaiúva e agrega mais de 130 kms de florestas particulares, parques e florestas públicas, até a Serra da Guaricana, na Nhandara Guaricana.

Em uma década, mais de 5 mil ecoturistas de todas as idades já estiveram na companhia da Eco Guaricana nestas RPPNs onde são praticados guiamentos de contemplação, trilhas, observação de abelhas, pássaros e borboletas, visita a cachoeiras, caminhadas e pedaladas, visita a florestas ombrófila mista e densa, entre outras atividades.

Na pandemia, com os passeios cancelados, buscamos outras formas de renda, com a aquisição de um contêiner para o café no bosque e caixas de abelhas sem ferrão. As melíponas são a inspiração para a construção de um camping geodésico com as abelhinhas sem ferrão intercalando as barracas. As barracas poderão ficar embaixo da cobertura verde, proporcionando tratamento térmico e a experiência de day use e pernoite na mata.

O projeto visa a obtenção de renda com prolongamento da presença do eco turista na Eco Guaricana, e alcançarmos a sustentabilidade financeira a partir da sede. Além da condução dos campistas aos passeios e visita às demais áreas parceiras.

Nos dez anos, notamos que o interesse local é comer, dormir e somente depois passear, o que nos coloca em terceiro lugar quanto a demanda e, ainda, sujeitos aos cancelamentos dos passeios por causa das chuvas.

Quem investe nos momentos do chamado bem estar ainda contribui com a sustentabilidade das áreas verdes. Os encontros nas estações ecológicas têm café da manhã e da tarde e almoço, estacionamento no day use. A condução é feita por guias experientes em áreas remotas.


Fale-nos mais sobre a solução proposta para o projeto, como irá funcionar?

Construção de uma geodésica com 12 metros de área, no bosque da Eco Guaricana, com copa, cozinha e dois banheiros. Instalação de estrutura de luz e água, mais estrutura de fossa de raízes da BioEte. O custo de mão de obra será colaborativo a partir do Grupo Tatu, nossa turma de donos de chácaras e manejo.

Colocação de caixas de abelhas sem ferrão dentro e fora da geodésica, sendo colmeias adquiridas pela Eco Guaricana e cessão de direito de instalação a proprietários de caixas que não possuem chácara para ter as colmeias. Proposta de cessão em parceria com a Apromel, Associação de Meliponicultores de São José dos Pinhais.


Quais serão as principais atividades do projeto e como serão aplicados os recursos?

Construção de uma tenta geodésica com 12 metros de área, no bosque da Eco Guaricana, com copa, cozinha e dois banheiros. Instalação de estrutura de luz e água, mais estrutura de fossa de raízes da BioEte. O custo de mão de obra será colaborativo a partir do Grupo Tatu, nossa turma de donos de chácaras e manejo.

Colocação de caixas de abelhas sem ferrão dentro e fora da geodésica, sendo colmeias adquiridas pela Eco Guaricana e cessão de direito de instalação a proprietários de caixas que não possuem chácara para ter as colmeias. Proposta de cessão em parceria com a Apromel, Associação de Meliponicultores de São José dos Pinhais.

Fase 01 aquisição dos recursos estruturais; fase 02 manejo e construção da geodésica, mais estrutura de uso como banheiros, copa, cozinha e fossa de raízes; fase 03 instalação das caixas de abelhas; fase 04 lançamento do Camping Geodésico com as abelhinhas, mais os passeios de ecoturismo internos e externos (áreas parceiras); fase 05 abertura da loja com produtos de mel de abelhas sem ferrão.Orçamento projetado e fases de investimento: R$ 30 mil.

Local de ação

São José dos Pinhais, PR, Brasil

Não há financiadores para esta campanha.

Postar um comentário

  • Não há comentários para esta campanha.